eet-cincia-da-computao

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Conheça o Curso
O curso de ciência da computação, com 9 semestres,abrange profundos estudos de todas as fundamentações teóricas das construções computacionais, bem como sua aplicação em sistemas computacionais. Desta forma, aborda os conceitos que envolvem o desenvolvimento de qualquer tipo de software para execução em computadores eletrônicos, por meio de técnicas da engenharia de software e metodologias de análise e desenvolvimento de sistemas.
O aluno terá um forte embasamento em áreas como estrutura de dados, teoria da computação e linguagens de programação e profundo conhecimento dos aspectos teóricos, científicos e tecnológicos relacionados à área de computação.
As bolsas serão designadas aos alunos mediante avaliação do ENEM + FICHA SOCIOECONÔMICA, de forma que podem variar de 30 a 50%.

O Curso de Ciência da Computação foi Reconhecido pela Portaria nº 187 de 17 de março de 2018 – D.O.U. de 22 de março de 2018.

O profissional egresso do Curso de Ciência da Computação terá uma formação geral que garanta a identidade do Curso de Ciência da Computação, caracterizada por:

  • Sua habilidade em refletir a variedade e mutabilidade de demandas sociais e profissionais na área,adequando-se à complexidade e velocidade do mundo contemporâneo.
  • Sua visão integradora e horizontalizada – genérica e ao mesmo tempo especializada de seu campo de trabalho possibilitando o entendimento da dinâmica das diversas áreas da computação e das suas relações com os processos sociais que as originam e que destas decorrem.
  • Sua capacidade técnica tendo uma visão sistêmica e holística da área da Ciência da Computação.
  • Utilizar criticamente o instrumental teórico-prático oferecido em seu curso, sendo portanto competente para posicionar-se de um ponto de vista ético-político sobre o exercício da profissão e do poder da informação e comunicação, no que diz respeito ao sigilo, segurança e propriedade intelectual.
  • Exercício de relações com outras áreas sociais, culturais e econômicas com as quais a Ciência da Computação faz interface.

O futuro profissional de Ciência da Computação formado deverá seguir alguns parâmetros, caracterizando-se por elementos e princípios fundamentais definidos como sendo os seguintes:

  • Um ponto de vista objetivo e independente.
  • Domínio da competência técnica e das habilitações necessárias.
  • Desempenho das suas responsabilidades de forma ética, com altos padrões de qualidade e respeito a confidencialidade.
  • Reconhecimento de que há responsabilidade perante a sociedade como um todo, além da responsabilidade para com um cliente ou empregador específico.

Assim, a FACULDADE SÃO FRANCISCO DE ASSIS buscará inserir no futuro profissional um espírito ético e responsável, dedicado em comunhão com a comunidade, conjugando uma formação técnica com um espírito de formação humanística e social que proporcionará condições mais conscientes no cumprimento das funções profissionais. No projeto pedagógico do curso de Ciência da Computação serão observados os preceitos das diretrizes curriculares. Na periodização do curso, apresentam-se suas atividades ao longo de, no mínimo, 9 semestres letivos e, no máximo em 9 anos. Os programas das disciplinas de Ciência da Computação têm em comum dois itens considerados fundamentais: a inclusão de conhecimentos técnicos de Ciência da Computação para enfrentar as complexidades crescentes do ambiente empresarial em geral, e a manutenção da eficiência profissional que requer um processo de aprendizagem contínua. Assim, os programas de ensino de graduação do curso de Ciência da Computação estabelecem uma base da qual possa derivar-se uma aprendizagem contínua e o aperfeiçoamento da educação da Ciência da Computação para o futuro egresso da FACULDADE SÃO FRANCISCO DE ASSIS.

Acesso ao Microsoft Imagine

Acesso ao Microsoft Imagine

Os alunos e professores do curso de Ciência da Computação da Faculdade São Francisco de Assis tem acesso a Plataforma Microsoft Imagine que disponibiliza diversos softwares e ferramentas de desenvolvimento para sistemas computacionais, incluindo linguagens de programação, banco de dados, sistema operacional, entre outros sistemas da Microsoft.

Clique aqui para acessar Microsoft Imagine

Caso não tenha acesso, solicite sua conta enviando e-mail para computacao@saofranciscodeassis.edu.br

Atividades Complementares

Atividades Complementares

As Atividades Complementares são práticas acadêmicas extra-curriculares, que devem ser cumpridas pelos alunos do curso de Administração ao longo do período de realização do curso. São práticas obrigatórias, ou seja, o aluno que não integralizar a carga horária correspondente às atividades complementares não poderá obter o seu diploma, mesmo que tenha obtido aprovação em todas as disciplinas do currículo do seu curso.

Acesse o Manual em Editais e Manuais | Manuais

Coordenação

Coordenação

Coordenador: Prof. Mestre Everaldo Luis Daronco
computacao@saofranciscodeassis.edu.br

Estágio Curicular

Estágio Curricular

O Estágio Curricular é obrigatório e faz parte da Grade Curricular do Curso de Administração e do Curso de Ciências Contábeis.

No curso de Administração o Estágio é dividido em Estágio I, Estágio II, Estágio III e Estágio IV cada um com 80 horas-relógio, os estágios são na áreas de Produção, Finanças, Marketing e Recursos Humanos.

No Curso de Ciências Contábeis o Estágio é dividido em Estágio em Contabilidade I, Estágio em Contabilidade II, Estágio em Contabilidade III e Estágio em Contabilidade IV cada um com 80 horas-relógio.

Segundo a Lei 11.788/2008, o estágio faz parte do projeto pedagógico do curso, além de integrar o itinerário formativo do educando. O estágio visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho. O estágio poderá ser obrigatório ou não-obrigatório, conforme determinação das diretrizes curriculares da etapa, modalidade e área de ensino e do projeto pedagógico do curso.

Estágio obrigatório é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma.
Estágio não-obrigatório é aquele desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória.
As atividades de extensão, de monitorias e de iniciação científica na educação superior, desenvolvidas pelo estudante, somente poderão ser equiparadas ao estágio em caso de previsão no projeto pedagógico do curso. O estágio, tanto obrigatório quanto não-obrigatório, não cria vínculo empregatício de qualquer natureza, observados os seguintes requisitos: – matrícula e freqüência regular do educando em curso de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e nos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos e atestados pela instituição de ensino; – celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino; – compatibilidade entre as atividades desenvolvidas no estágio e aquelas previstas no termo de compromisso. O estágio, como ato educativo escolar supervisionado, deverá ter acompanhamento efetivo pelo professor orientador da instituição de ensino e por supervisor da parte concedente, comprovado por vistos nos relatórios referidos no inciso IV do caput do art. 7o da Lei 11.788/2008 e por menção de aprovação final. O descumprimento de qualquer dos incisos da Lei ou de qualquer obrigação contida no termo de compromisso caracteriza vínculo de emprego do educando com a parte concedente do estágio para todos os fins da legislação trabalhista e previdenciária. A realização de estágios, nos termos da Lei, aplica-se aos estudantes estrangeiros regularmente matriculados em cursos superiores no País, autorizados ou reconhecidos, observado o prazo do visto temporário de estudante, na forma da legislação aplicável. As atividades de aprendizagem social, profissional e cultural, proporcionadas ao estudante pela participação em situações reais da vida e trabalho de seu meio, sendo realizada na comunidade em geral ou junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado, sob responsabilidade e coordenação da instituição de ensino.

Essas considerações fazem com que o estágio seja analisado como parte integrante da formação educacional e profissional do estudante, ambas garantidas pela Constituição Federal de 1988 e pela Lei nº 9.394/96 (LDB), contemplando, assim, a aplicação prática das teorias aprendidas em sala de aula. Outro ponto de destaque é a diversidade das oportunidades de estágio, ou seja, são oferecidas, por empresas e entidades afins, nas mais diversas áreas de formação, o que garante uma grande abrangência para a qualificação dos mais diversos profissionais requeridos pelo mercado de trabalho. Essa inserção do estudante em um ambiente real de trabalho busca adequá-lo às exigências do mercado, familiarizando-o com o contexto empresarial e suas atividades na sua futura profissão. Assim, o estágio funciona como formador de Recursos Humanos para as empresas e outras instituições, o que é fundamental para o seu desenvolvimento e crescimento contínuo. Mais do que formar Recursos Humanos, o estágio busca a formação de Talentos, que serão a base para o desenvolvimento dos futuros líderes do país. Todavia, para que tudo isto seja possível, o estágio deve ocorrer na área de formação do aluno, sendo adequado ao semestre que se está cursando, permitindo uma atuação prática na área de sua futura formação. Outro fator importante neste aspecto é que todas as partes envolvidas devem buscar a promoção de um estágio de qualidade, tendo cada um, desta maneira, responsabilidades específicas.

Há muita confusão sobre a nomenclatura utilizada na área de estágio. Fala-se, erroneamente, de estágio curricular e não-curricular ou de estágio formal e informal. Esses conceitos não condizem com a realidade, uma vez que, sendo o estágio uma forma de completar a educação do estudante, ele deve proporcionar aprendizagem ao aluno na sua área de formação, tendo que ser curricular e formal. Assim, o que existe é o estágio curricular obrigatório, que está previsto na grade de matérias do curso de formação do aluno, e o estágio curricular não obrigatório, que não conta créditos para a formação do aluno, mas que possui uma grande importância para a sua formação. Observação: Não existe Estágio Extra Curricular, pois todo estágio precisa estar condizente com a realidade do curso ao qual o estudante está vinculado.

Formaturas

Formatura

Manual da Colação de Grau


PRIMEIRA FORMATURA – 1º Semestre de 2018

Formandos: Andersen De Paula Silva, Marcelo Da Silva Rodrigues, Rodrigo Guerreiro França.

Corpo Docente

Corpo Docente


Andres Kalikoske Teixeira

Possui Doutorado em Ciências da Comunicação e Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), sendo bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Pesquisador no grupo de pesquisa Processos Comunicacionais (Processocom) na Unisinos. Desenvolve investigações sobre teorias da cultura, audiovisual, comunicação digital e convergência de mídias. Professor universitário em níveis de graduação e pós-graduação, respectivamente na Faculdade São Francisco de Assis (Unifin) e na Unisinos, onde atualmente é coordenador da Especialização em Televisão e Convergência Digital (Unisinos). Parecerista nas revistas científicas Intexto (UFRGS), Sessões do Imaginário (PUCRS) e Eptic On Line (UFS). Em 2012 publicou em Portugal o livro Economia Política das Indústrias Culturais, pela editora Media XXI. Experiência profissional em produção audiovisual no Canal Futura, Grupo Clarín (Buenos Aires, Argentina), onde atuou como correspondente internacional, e Grupo Bandeirantes.

E-mail: andres@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/8035715116150885


Beatriz Viana dos Santos

Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990). Mestre em Linguística Aplicada pelo Curso de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2004). Lecionou as disciplinas de Língua Portuguesa, Redação e Literatura Brasileira na rede particular de ensino de Porto Alegre. Lecionou Língua Francesa também na rede particular de ensino. Ministrou cursos de Português Instrumental (atualização) em empresas como Bank Boston, Schering do Brasil, Rhodia, entre outras. Ministrou cursos de Língua Francesa em empresas como Renault, Philip Morris, Crédit Commercial Français (CCF), entre outras. Corrigiu redações no Curso Pré-Vestibular Unificado. Atualmente é professora de Língua Portuguesa e de Metodologia Científica nos cursos de Administração, Arquitetura, Ciências Contábeis, Ciências da Computação, Direito, Jornalismo, Publicidade, Psicologia, Relações Internacionais e Tecnólogo em Marketing da Faculdade São Francisco de Assis – UNIFIN. Trabalha como autônoma na revisão de textos acadêmicos e ministra cursos de Português (Instrumental, para Estrangeiros e Concursos), Francês (Língua Estrangeira e Instrumental – Proficiência) e Redação (Concursos, Vestibular e Atualização para profissionais). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, Linguística, Redação e Língua Francesa.

E-mail: bea.viana@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6879228665006326


Celina Nair Xavier Neta

É Bacharel em Letras Língua de Sinais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha dos Estudos Culturais em Educação. Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Estudos da Tradução (PGET) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sob a orientação da Professora Doutora Rachel Sutton-Spence. Atuou como Professora dos Anos iniciais do Ensino Fundamental da Rede Estadual e Municipal de São Leopoldo/RS. Foi professora e coordenadora pedagógica da Escola de Ensino Médio para Surdos Professora Lilia Mazeron. Coordenou o Serviço de Ajudas Técnicas da FADERS. Atualmente é Tradutora Intérprete de Língua Brasileira de Sinais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desenvolve pesquisa na área de tradução, cultura e literatura surda.

E-mail: celina@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/9011497710866665


Claudia Flores Pereira

Possui mestrado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004), especialização em Língua Inglesa pela Pontifícia Universidade Católica ( 2001) e graduação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989). Tem experiência na área de Letras, atuando principalmente nos temas: metodologias de ensino de língua adicional, aquisição da linguagem, livros didáticos e língua inglesa.

E-mail: claudia.pereira@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/1156059856764265


Edson Roberto Oaigen

Edson Roberto Oaigen, nascido em 25 de abril de 1951, possui Licenciatura Curta em Ciências Naturais e Exatas pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Cachoeira do Sul (1972); licenciatura plena em Biologia pela Universidade de Santa Cruz do Sul (1980); Especialização em Biologia Geral pela FISC/UNISINOS; Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1990) e Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Foi professor da Universidade de Santa Cruz do SUL-UNISC, no período de 1981-1997. Atuou também na Universidade Luterana do Brasil-ULBRA, de 1997 até 2011. Foi professor e coordenador no Curso de Biologia da UNOESC/SC, no período de 1995/1999. Atualmente é professor na Faculdade São Francisco de Assis, em Porto Alegre, RS, na Graduação e em cursos de Pós-Graduação, atuando também na coordenação do Laboratório de Pesquisa Multidisciplinar da Faculdade. Tem experiência significativa em atuação nos seguintes temas: Educação em Ciências, Educação Ambiental, Atividades Informais, Ambiente e Sociedade, Educação para o Desenvolvimento Sustentável e Formação de Professores. Incentivador e organizador em eventos técnicos, científicos e educacionais, destacando-se: Feiras de Ciências, Simpósios, Congressos e Encontros nas áreas Ambientais e Educacionais. Atuou na estruturação e coordenação do Centro de Ciências da UNISC e do Laboratório de Pesquisa em Ensino de Ciências – LPEC, na ULBRA, ambos com forte atuação na Iniciação a Educação Científica, possibilitando condições para a formação até o Mestrado e/ou Doutorado para inúmeros bolsistas que iniciaram durante a graduação. Desde 2004 é professor convidado no Programa de Postgrado en Ciências de la Educación- Maestría y Doctorado – en Universidad Evangelica del Paraguay, Asunción-PY, onde também desempenha a função de Coordenador Pedagógico do referido Programa, no convênio UEP/Instituto Eckart, Propôs e teve aprovado inúmeros projetos em órgãos de apoio a Educação, Ciências e Tecnologias, tais como: FAPERGS, CAPES, FINEP e SESU. Atualmente atua como Pesquisador colaborador do Instituto Eckart, Cachoeirinha/RS na função de consultor e coordenador Aacdêmico em nível de Pós-graduação. Atuou como Consultor da FECOMËRCIO/RR onde coordenou a equipe de Implantação da Faculdade do Comércio de Roraima. Atuou com consultor do IBGEN com palestrante na capacitação de Conselheiros da SICREDI no Estado de Mato Grosso abordando a temática sobre Desenvolvimento Sustentável e Ambiente.

E-mail: edson@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/5996182466297217


Ernani Ott

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1967), graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1980), especialização em Contabilidade pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1982), doutorado em Ciências Contábeis pela Universidade de Deusto, Espanha (1998). Atualmente é professor titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos e professor da Faculdade São Francisco de Assis – UNIFIN Tem experiência na área contábil, com ênfase em Teoria da Contabilidade, atuando principalmente nos seguintes temas: responsabilidade social, balanço social, contabilidade ambiental, capital intelectual e evidenciação de informações contábeis.

E-mail: ernani@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6014537302206830


Everaldo Luis Daronco

Possui Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, em andamento, Mestrado em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, no ano de 2003 e Graduação em Ciência da Computação pela Universidade de Cruz Alta, UNICRUZ, no ano de 1999.

E-mail: computacao@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/8754345546742015


Jean de Brito Belline

Possui Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Geociências pelo Instituto de Geociências da UFRGS, em andamento, Mestrado em Geologia pelo Instituto de Geociências da UFRGS, no ano de 2009 e Graduação em Licenciatura em Física pela Instituto de Física da UFRGS, no ano de 2002.

E-mail: jean@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4167207494041263


Jeanine dos Santos Barreto

É mestre em Ciência da Educação pela Universidad Evangelica del Paraguay (2017 – diploma em processo de reconhecimento no Brasil), pós-graduada em Docência e Gestão na Educação a Distância pela Faculdade do Vale Elvira Dayrell (2020) e em Engenharia de Sistemas pela Escola Superior Aberta do Brasil (2012), graduanda em Direito pela Faculdade São Francisco de Assis e graduada em Ciência da Computação pela Universidade de Passo Fundo (1995).
Trabalha como Analista de Sistemas na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e como professora do Curso de Graduação em Ciência da Computação na Faculdade São Francisco de Assis.

E-mail: jeaninebarreto@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6767204635771872


Márcio Joel Barth

Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Feevale(2003), especialização em MBA em Gestão de Projetos pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(2012), especialização em Redes de Computadores e Aplicações Internet pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(2005) e mestrado em Computação Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(2016). Atualmente é Gerente de Projetos de Infraestrutura da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul, Gestor da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul e Professor da Faculdade São Francisco de Assis. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Redes de Computadores. Atuando principalmente nos seguintes temas:Planejamento de redes, Algoritmo multinível capacitado, Cidades inteligentes.

E-mail: marcio@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/8544832945879725


Matheus da Silva Serpa

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Computação (PPGC) no Instituto de Informática (INF) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bolsista da Petrobras e professor na Faculdade São Francisco de Assis (UNIFIN). É Mestre em Ciência da Computação pela UFRGS (2018). Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), tendo recebido o Prêmio Aluno Destaque da Sociedade Brasileira de Computação (2015). Atua nas áreas de Arquitetura de Computadores e Computação de Alto Desempenho.

E-mail: matheus@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/3041231438928613


Mauricio de Oliveira Saraiva

Possui Mestrado em Computação Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos (2016), Especialização em Engenharia e Arquitetura de Software pela Universidade Gama Filho – UGF (2013), Especialização em Docência e Gestão na Educação à Distância pela Faculdade do Vale Elvira Dayrell (2020) e Bacharelado em Ciência da Computação pela Universidade de Cruz Alta – Unicruz (2002). É professor do curso de Bacharel em Ciência da Computação na Faculdade São Francisco de Assis, Coordenador do curso Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas EaD na Faculdade São Francisco de Assis, professor autor na editora Sagah e Analista de Sistemas Pleno na Gerência de Grandes Clientes dos Correios do Rio Grande do Sul. Tem experiência em análise, desenvolvimento e modelagem de software, com ênfase em sistemas de logística e comerciais.

E-mail: mauriciosaraiva@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/9874324792970106


Otávio Borsa Antonello

Professor e Coordenador do Curso de Direito da Faculdade São Francisco de Assis – UNIFIN. Mestre em Economia, com ênfase em Controladoria pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre/Brasil (2006). Especialista em Administração e Planejamento para Docentes pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Gravataí/Brasil (2001). Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Luterana do Brasi – ULBRA, Gravataí/Brasil (2002). Bacharel em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, Porto Alegre/Brasil (1997).

E-mail: otavio@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/9727746598229630


Pablo Leonardelli

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013) e mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016). Atualmente é pesquisa e desenvolvimento da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e professor substituto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

E-mail: pablo@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/9825333756366682


Rebel Zambrano Machado

Possui Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, em andamento, Mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, no ano de 1998, Mestrado em Metodologias do Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, no ano de 1997, Especialização de Preceptoria para o SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês no ano de 2014, Especialização em Serviço Social em Segurança do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, no ano de 1989, Especialização em Administração e Planejamento de Programas de Bem E., pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, no ano de 1987, Especialização em Programas de Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, no ano de 1985, Aperfeiçoamento de Gestão em Atenção Primária pela University of Toronto, UTORONTO, Canadá, no ano de 2006 e Graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, no ano de 1979.

E-mail: rebel@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/5476188943900107


Rosângela Sassi Matsumura Gomes

Possui graduação em Licenciatura em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2000). Especialização – Pós-graduação em Educação de Jovens e Adultos (2002). Especialização em andamento no curso de Filosofia e ética politica. Atualmente é professora da União das Faculdades Integradas de Negócios. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia.

E-mail: rosangela@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes:http://lattes.cnpq.br/2566988001342860


Silvana Teodoro

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e professora nos cursos de Sistemas para a Internet e Técnico em Informática do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSUL), Câmpus Charqueadas. É Mestre em Ciência da Computação pela PUCRS em 2013. Possui bacharelado em Ciência da Computação pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões em 2010. Atuou nas áreas de suporte técnico e testes de qualidade de software. Tem experiência em Ciência da Computação, com foco nas áreas de Processamento Paralelo e Distribuído, Eficiência Energética e Escalonamento de Recursos em Ambientes de Alto Desempenho.

E-mail: silvana@saofranciscodeassis.edu.br

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6694524491895815


Investimento

Investimento

O Curso de Ciência da Computação tem carga-horária de 3.360 horas/relógio realizado em 09 (nove) semestres.

As aulas são ministradas de segunda a sexta-feira das 18h58min às 22h42min, com oficinas de estudo (aulas de reforço) facultativas aos sábados.

Encargos Educacionais Graduação 2020

O número mínimo de créditos a cursar é 8 (2 disciplinas) desde o 1º semestre do curso.

* Tabela de valores líquidos já considerando a bolsa FSFA de 32,40% para alunos novos, rematrícula consultar valores pelo portal do aluno.

O boleto bancário deve ser emitido, ao final de cada mês, SOMENTE pelo portal do aluno.

Ensino de qualidade com preço diferenciado.

  

Monitoria

Manual da Monitoria

Acesse o Manual de Monitoria

Projeto Pedagógico
Trabalho de Conclusão

Trabalho de Conclusão de Curso

O Trabalho de Conclusão de Curso no que couber a legislação vigente consiste em pesquisa individual orientada, relatada sob a forma de um artigo científico, em qualquer área de conhecimento do Curso.

Os objetivos gerais do Trabalho de Conclusão de Curso são os de propiciar aos alunos do curso de graduação a ocasião de demonstrar o grau de habilitação adquirido, o aprofundamento temático, o estimulo à produção científica, à consulta de bibliografia especializada e o aprimoramento da capacidade de interpretação crítica.

Os artigos deverão ser inéditos, ou seja, não terem sido publicados em qualquer órgão editorial.

O Trabalho de Conclusão de Curso é desenvolvido sob a orientação de um professor do Curso.

O Trabalho de Conclusão de Curso é atividade de natureza acadêmica e pressupõe a alocação de parte do tempo de ensino dos professores à atividade de orientação, na forma prevista nas normas internas.

Considera-se aluno em fase de realização do Trabalho de Conclusão de Curso, aquele regularmente matriculado na disciplina respectiva, pertencente ao currículo do Curso de Graduação.

O artigo científico, expressão formal do Trabalho de Conclusão do Curso, deve ser elaborado considerando-se:

I –    na sua estrutura formal, os critérios técnicos estabelecidos nas normas da ABNT sobre documentação, no que forem eles aplicáveis;

II –   no seu conteúdo, a vinculação direta do seu tema com um dos ramos do conhecimento, preferencialmente aqueles identificados pelas disciplinas ofertadas no currículo.

Os artigos deverão ser elaborados de acordo com regulamento de elaboração de trabalhos de conclusão de cursos da Faculdade São Francisco de Assis.

A versão definitiva do Trabalho de Conclusão de Curso deve ser encaminhada à Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso em 2 (duas) vias, além dos demais requisitos exigidos neste Regimento.

Acesse o Manual de Normas e Apresentação de Trabalhos Escolares

Acesse o Template para Digitação do Trabalho de Conclusão

Clique em VER PERFIL e descubra se você se encaixa nesta profissão.

INTERESSADO NESTE CURSO?

Deixe seu nome e e-mail e receba um material que preparamos especialmente para você sanar suas dúvidas e decidir sua profissão de futuro!

Fale Conosco